Redes de TV definem estratégias para desligamento do sinal analógico no Paraná

A principal linha de trabalho será reforçar as ações de comunicação com ênfase na data de desligamento do sinal, em 31 de janeiro. Até esta data, a Anatel espera que 93% da população esteja com seus televisores aptos a capturar o sinal digital. Dados de outubro apontam que o número de usuários preparados para o desligamento na região Curitiba, que compreende 27 municípios, é de 83%.

A baixa crença no desligamento do sinal também foi apontada como um fator a ser enfrentado pelas emissoras. “Muitas pessoas ainda não acreditam que o sinal analógico será desligado ou estão deixando a adaptação dos seus aparelhos para a última hora. Nosso desafio é atingir o maior número possível de usuários, chegando a 100%”, apontou Eduardo Boschetti, diretor geral da RPCTV.

Acesso aos kits digitais

Os dados mais recentes sobre a distribuição gratuita dos kits digitais (conversor e antena digital) para Curitiba e Região apontam que, do universo de 371 mil famílias que cumprem os requisitos necessários (beneficiários de programas sociais do Governo Federal), 66% retiraram o equipamento. A meta da Anatel é atingir 75% dessas famílias.

“As pesquisas mostram que as classes C2, D e E são as que estão menos preparadas para a transição para o sinal digital”, destacou Marcelo Dias Lopes, diretor de programação da RPCTV.

O grupo ressaltou a necessidade de ações de comunicação junto a essa população para incentivar a retirada dos kits gratuitos ou aquisição de aparelhos que já possuam a tecnologia instalada, envolvendo outras mídias como rádios e jornais.

Desligamento no interior

Para as demais regiões do Paraná onde está previsto o desligamento do sinal analógico (Norte, Noroeste e Oeste), a data definida pela Anatel é 28 de novembro de 2018. As estratégias para atuação nessas localidades também foram apontadas pelo grupo.

“No interior do estado a expectativa da população é grande pela entrada do sinal digital”, apontou André Fronza, gerente de engenharia da RICTV.

O chamado “Cluster Oeste” é formado por 128 municípios, dentre eles Londrina, Maringá, Paranavaí, Umuarama, Campo Mourão, Toledo, Cascavel e Foz do Iguaçu, compreendendo uma população de 3,7 milhões de paranaenses.

Para essas regiões, o grupo definiu como prioridade a aceleração das implantações necessárias para oferta de canais digitais pelas emissoras, bem como a veiculação de campanhas massivas de comunicação, considerando a experiência adquirida na etapa de Curitiba.

Próximos passos

O grupo deve se reunir novamente na AERP antes da data prevista para o desligamento em Curitiba e no decorrer do ano para discutir os avanços do processo no interior do Paraná.

“A atuação da AERP como interlocutora entre as emissoras e a Anatel tem sido fundamental desde o início desse processo”, destacou a superintendente da AERP, Ticiane Pfiffer, que conduziu a reunião.

Participaram do encontro representantes das emissoras RPCTV, RICTV, Rede Massa, Band TV, CNT e TVCI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *